Dia Internacional da Mulher

26 Mar

O dia internacional da mulher

deveria ter a mesma intensidade do Natal e ser quando um Homem quisesse.       

As bases ideológicas que situam a mulher como inferior e submissa vêm de muito longe, desde os mitos da criação, sendo que na igreja cristã temos o Mito de Eva.

Também na mitologia grega, o Mito de Pandora apresentava uma identidade negativa para a mulher. Pandora, a primeira mulher, instrumento de vingança de Zeus, era portadora de uma caixa onde se concentravam todos os males que assolavam a humanidade.

Na igreja cristã, Eva foi feita a partir de uma costela de Adão para que o homem não ficasse sozinho. No entanto, ela simboliza a tentação. Em contrapartida, a igreja constrói uma outra identidade feminina mítica, a Virgem Maria – Mãe de Cristo, Mãe da Igreja, Mãe dos pobres e infelizes.

Nos nossos dias, pelo facto de se assinalar, cada vez mais esta data, só prova que a Mulher como ser humano está a ser cada vez mais valorizada, ou pelo menos nesse dia é feito o diagnóstico aos índices de violência doméstica, às condições de trabalho, seus direitos e a possibilidade de se destacarem num mundo marcado, preferencialmente, pelo traço masculino. 

 E lá diz o povo que «por detrás de um grande homem há sempre uma grande mulher».

Seja como for, o importante é que a data não seja esquecida, uma vez que se convencionou o dia 8 de março como o dia internacional da mulher. E qual é a mulher que não gosta de receber uma flor?

As flores são símbolo da natureza, da vida, pureza, paz, riqueza, sucesso, bem – estar, alimento, energia, cura, amor e qualidade de vida.

O fascínio pelas plantas e sua energia benéfica parece estar cada vez mais na ordem do dia. A magia que envolve o verde não tem idade. Por transmitirem sensação de bem-estar e conforto, as plantas sempre foram companhia obrigatória nos diferentes momentos da vida, seja num simples jantar, na comemoração de nascimento, em casamentos, ou na morte, desde os primórdios da humanidade.

Se dedicarmos algum tempo a admirá-las constatamos que as plantas são seres vivos cegos, surdos e mudos do ponto de vista humano, embora haja quem se anime dialogando com elas e considerem que percebem e sentem de forma bem peculiar tudo o que se passa à sua volta.

As flores e as plantas são a demonstração máxima de beleza da natureza, em exuberância de formas, cores e perfumes sem iguais que devem colorir e animar o quotidiano feminino.

A Professora,

Helena Serra

08 de março de 2014

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: