Archive | Educação Para a Saúde RSS feed for this section

Acção de Sensibilização: agricultura biológica e alimentos transgénicos

1 Jun

Este slideshow necessita de JavaScript.

No passado dia 31 de Maio de 2011, decorreu para os alunos das turmas A e B do 9.º ano de escolaridade, na BE/ CRE da Escola, uma Acção de Sensibilização sobre agricultura biológica e alimentos transgénicos, com a participação da Dr.ª Alexandra Azevedo. Esta acção decorreu no âmbito das disciplinas de Ciências Naturais e Geografia e dos Projectos Eco-Escolas e Educação para a Saúde.
Pretendia-se atingir os seguintes objectivos:
– sensibilizar os alunos para pratica de uma alimentação saudável;
– conhecer a agricultura biológica como uma forma de minimizar os impactos ambientais da agricultura moderna;
– conhecer as vantagens e desvantagens dos alimentos geneticamente modificados;
– discutir possíveis impactos na saúde pública dos alimentos transgénicos;
– sensibilizar para uma participação activa na defesa do meio ambiente.
Neste sentido, a Dr.ª Alexandra fez uma breve comunicação sobre a alimentação saudável e referiu que embora possam ser produzidos transgénicos em grandes quantidades, ainda não existem muitos estudos sobre os seus efeitos futuros na espécie humana. Deu a conhecer que em estudos feitos com animais de laboratório, a alimentação com transgénicos prejudica o seu crescimento, a fertilidade e o funcionamento de alguns órgãos internos.
Referiu ainda quais os benefícios para o ambiente e para a biodiversidade, da prática do cultivo de sementes tradicionais de cereais (milho, trigo e soja) em detrimento das geneticamente modificadas. Deu a conhecer algumas amostras destes cereais, referindo as diferenças que existem entre elas e as sementes transgénicas, valorizando portanto as sementes tradicionais.

Assim sendo deveremos mantermo-nos devidamente informados sobre o assunto de forma a podermos escolher os alimentos que queremos comer e ter uma alimentação saudável e equilibrada.
As Professoras:
Ana Micaela e Manuela Baptista

Rastreio da Diabetes

24 Maio

No dia 5 de Maio, os alunos do CEF de Protecção e Prestação de Socorro – Bombeiros Enfermeiro, supervisionados pela Enfermeira Elisabete Almeida da UCC de Torres Vedras, destacado na nossa escola e pelo professor João Marques, realizaram cerca de 200 testes de Glicemia à nossa comunidade escolar.
Estes testes foram acompanhados pela medição da altura e do peso de todos os intervencionados, tendo sido criada uma base de dados pelo professor de TIC, Jaime Diogo.
Para que esta actividade fosse possível foi imprescindível a colaboração da professora Paula Pascácio que efectuou os contactos com a Farmácia Campos Gomes que facultou os KIT`s para este rastreio, através dos laboratórios LIFESCAN.
Esta actividade surgiu com o intuito de sensibilizar os nossos alunos para uma doença silenciosa que resulta, muitas vezes, de uma alimentação pouco adequada.

Carmo Francisco
Coordenadora da Educação para a Saúde

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rastreio Oral

24 Maio

Este slideshow necessita de JavaScript.

Realizou-se na BE/CRE da Escola Básica 2,3 de Maxial, nos dias 2 e 3 de Maio, um rastreio oral, levado a cabo pela Clínica MasterDental.
Todos os alunos autorizados foram sujeitos a uma avaliação levada a cabo por dois dentistas tendo sido anotados os problemas diagnosticados. Posteriormente a Clínica irá contactar os encarregados de educação para propor um plano de intervenção para estes alunos.

Rastreio Visual

24 Maio

A Oculista Central Torreense esteve presente na nossa escola para realizar um rastreio visual à nossa comunidade escolar. Esta actividade foi realizada na BE/CRE, nos dias 31 de Março e 1 de Abril.
Nesta actividade foi utilizado o equipamento Auto-Refractómetro, Visiotest, acessórios para Cover test e Optotipos de parede.

Foram realizados 262 rastreios (alunos entre os 10 e os 17 anos e alguns professores), destes foram sinalizados 75 casos:
• 1 Caso grave, caracterizamos os graves como Ambliopia não tratadas e forias várias (cover test e visiotest).
• 33 Casos em que é imperioso o uso de óculos, caracterizamos como ametropias não corrigidas (auto-refractómetro e optotipos de parede).
• 41 Casos com má acuidade visual, que precisam actualizar as lentes dos seus óculos, caracterizamos por não conseguir com um olho ou ambos mais de 6/10 (visiotest ou optotipos de parede).
Face aos dados apresentados é notório a vantagem destes rastreios. Mas é sempre necessário reforçar que o sentido da visão não se esgota nesta limitada bateria de testes e existem ametropias, forias, tropias e outras condições patológicas que iludem estes testes não excluindo nunca um exame aprofundado em local próprio.

Fonte: Relatório facultado pela Oculista Central Torreense

Como está a sua tensão?

24 Fev

Fica aqui o registo fotográfico da actividade anterior:

Inquérito sobre a Diabetes /Medição da Tensão Arterial

23 Fev

No âmbito das disciplinas da Componente Tecnológica do curso CEF – Protecção e Prestação de Socorro – Bombeiros e em colaboração com o Projecto «Educar para a Saúde», a turma CEF2 aplicou um Inquérito sobre a Diabetes a toda a Comunidade Educativa, na sexta-feira, dia 18 de Fevereiro.

Em simultâneo, realizou-se, no Polivalente, a Medição da Tensão Arterial. Esta medição decorrerá todos os meses até ao final do ano lectivo.

%d bloggers like this: